Artigos

E quem cuida do RH?

A reflexão de hoje  é um convite gentil ao RH – Cuide de si para cuidar do outro. 

Reconhecida por cuidar dos colaboradores, a área de Recursos Humanos tem a responsabilidade de atrair, manter, reter os talentos e proporcionar ao funcionário uma experiência de valor, saúde e bem-estar, contribuindo com os  objetivos da organização.

A atuação do profissional de Recursos Humanos, estratégica ou operacional,  requer, entre outras habilidades, um exercício contínuo de paciência, empatia e compreensão perante toda sorte de desafios. Lidar com situações delicadas pode, em muitas ocasiões, levar os profissionais da área a sentir ansiedade, medos, e pressões exigindo habilidades emocionais para o enfrentamento. Afinal, não é apenas uma questão técnica ou racional. Compreende o  relacionar-se com o trabalhador que apresenta a dor ou dificuldade, com o ambiente de trabalho e com as pessoas da equipe, além de  relacionar-se consigo e com seus próprios receios.

Especialistas da área defendem que uma mente saudável não implica apenas a  ausência de problemas psicológicos. Está diretamente relacionada ao como administramos nossas emoções e sentimentos, como reagimos diante de diferentes situações, enfim, como lidamos com os outros e  com nós mesmos.

A  pandemia  da Covid-19 e as exigências sobre os profissionais de RH reforçaram a importância do equilíbrio porque  o risco pode ser iminente  quando não se percebe, não se observa e nada se faz para preservar a própria saúde mental. É fundamental o cuidar de si para produzir emoções agradáveis ou para reduzir estados emocionais desagradáveis.

Algumas dicas para manter uma vida saudável:

  • Meditação: ajudar a manter a mente mais calma, atenta e focada em todas as atividades.
  • Atenção Plena (Mindfulness) técnicas específicas que permite  prestar atenção à experiência do momento presente, de forma intencional e sem julgá-la. A prática regular interrompe a desatenção e produz efeitos positivos sobre a saúde física e psicológica.
  • Autoconhecimento: identificar as  forças, os talentos que fortalecem e consciência sobre os sabotadores, as atitudes e comportamentos que nos impedem ter vida saudável.
  • Atividade física; há infinitas oportunidades, escolha uma que te atraia e vá, não espere pela força de vontade, mire no objetivo.
  • Cultivar um hobby, dançar, ouvir músicas, leituras e filmes relaxantes.

Assim, as práticas sugeridas acima  talvez não se  apliquem a você ou ao seu momento,  mas  lembre-se,  existem outros recursos igualmente saudáveis para você alcançar o tão merecido equilíbrio e ter uma vida bem vivida. Vamos lá, aceite este convite!

Confira outros artigos clicando aqui.

Por: Sandra Fusco

Mestre em Gestão da Qualidade e Produtividade (UFSC). Pós-Graduada em Gestão de Recursos Humanos (F.A.E. PR), Psicóloga (Universidade Sagrado Coração-SP). Especialista em Condução de Grupos (Holos – SP). Com sólida experiência, generalista, nos subsistemas de R.H, prioritariamente em Recrutamento & Seleção e Treinamento & Desenvolvimento. Consultora parceira da ZHZ Consultores.